Automação Industrial se trata da utilização da tecnologia para a realização de tarefas de controle de mecanismos e funções com o objetivo de otimizar processos produtivos dentro da indústria, responsável por aumentar a produtividade e assegurar a competitividade das indústrias no mercado.

A automação, de modo geral, é feita por sistemas computadorizados ou mecânicos que comandam e controlam mecanismos e funções de um processo, a fim de empregar processos automáticos no mesmo.

Continue a leitura para saber um pouco mais sobre Automação Industrial, seus objetivos e seus muitos benefícios para a empresa:

O que é Automação Industrial?

A Automação Industrial é a otimização dos processos industriais de uma operação, por meio da aplicação de diversas tecnologias de software e hardware.

Ela também pode ser considerada a substituição de trabalhos manuais por tarefas mecânicas, mas isso não quer dizer que as máquinas substituirão os trabalhos das pessoas.

O mundo está evoluindo e constantemente, enquanto alguns empregos desaparecem, outros, alinhados à necessidade atual do mercado de trabalho, nascem.

Portanto, um dos seus objetivos é dar mais autonomia para os equipamentos e máquinas industriais, diminuindo possíveis esforços humanos que são gastos na execução de determinadas atividades dentro de uma operação.

Hoje em dia, com os avanços tecnológicos e com as indústrias 4.0, a automação se tornou um projeto imprescindível para indústrias que desejam se manter altamente competitivas no mercado.

Assim, a automação integra três diferentes áreas, a eletrônica, a mecânica e a tecnologia da informação (TI).

Quais são os objetivos da Automação Industrial?

A automação tem muitos objetivos, mas melhorar os resultados das indústrias, isso por meio de processos produtivos mais qualificados e com menores custos é um dos seus principais focos.

O que Automação Industrial faz é extremamente vantajoso para as empresas, que devem manter-se cada vez mais competitivas.

Em um mercado repleto de concorrentes, os principais objetivos da Automação Industrial influenciam diretamente o posicionamento da sua empresa, tornando-a rentável.

Há também outros objetivos que são tão importantes quanto os citados, como aumentar a qualidade por meio do controle dos processos e da compensação automática das deficiências dos mesmos.

A automação de processos industriais permite realizar operações que seriam impossíveis de controlar intelectualmente ou manualmente em função de sua complexidade e do respeito às limitações do ser humano.

O uso inteligente de matéria prima, energia e equipamentos aumenta o número de itens produzidos por hora. Isso reduz os custos de produção e aumenta a qualidade.

Ao simplificar a operação e manutenção, é possível melhorar as condições de trabalho humano eliminando trabalhos perigosos e aumentado a segurança.

Benefícios da Automação Industrial:

Agora que você sabe um pouco mais sobre o que é Automação Industrial, como funciona e seus objetivos, selecionamos também alguns de seus benefícios para que você conheça ainda mais essa possibilidade. Confira:

1. Melhora na qualidade do produto

Uma máquina nunca irá se cansar e nem descuidada, ela trabalha durante 24h por dia sem se preocupar com vida pessoal, sem adoecer e uma vez que calibrada e programada ela irá manter aquela qualidade pelo tempo que funcionar.

2. Precisão

A precisão é um dos principais pontos dos benefícios da Automação Industrial. Isto porque todas as variáveis envolvidas nos processos de produção são medidos pelo computador principal, que geralmente possui um programa de inteligência artificial embutido. Este programa assegura a precisão e o tempo para a produção.

3. Aumento de produtividade

Através da automação muitos trabalhos manuais puderam ser feitos por máquinas. As máquinas trabalham sozinhas, com maior precisão e velocidade. Só é necessário ter um cuidado especial com a manutenção.

4. Redução de custos

A redução de custos se dá principalmente ao menor desperdício de material e a menor quantidade de mão de obra para produzir. Uma máquina apenas precisa de revisão periódica e energia elétrica para funcionar, seus gastos são pontuais e seu custo benefício promovido pela quantidade produzida e velocidade de produção ajuda na diminuição dos custos por produto.

5. Monitoramento remoto e segurança dos empregados

O monitoramento remoto é um dos benefícios que se destaca e que mais obteve avanço nos últimos anos. Isto porque a operação remota e os sistemas de controle estão cada vez mais integrados na maioria dos sistemas de Automação Industrial.  Estes sistemas permitem a um operador monitorar e controlar os processos de produção a partir de uma determinada distância.

Isso pode ser feito para alertar desde problemas na produção até alertas de perigo aos funcionários, diminuindo riscos e fatalidades. Com esses processos, podemos verificar sobrecargas e aumentos de temperatura. Assim, garantimos velocidade de tomada de decisão diminuindo prejuízos e danos que não seriam evitados se um homem fizesse o mesmo trabalho.

6. Competitividade

Você tem maior produção, menor custo de produção, maior qualidade. Em um mundo no qual o consumidor preza cada vez mais pela qualidade, custo e cuidados ambientais, como mostra estudos, poder investir no que o consumidor procura sem gerar mais despesas a empresa é o caminho para ser competitivo em um mercado cada vez mais agressivo.

Conclusão

A Total Automação é uma empresa de comércio e prestação de serviços sediada em Betim, MG, fundada em 1997, com missão de oferecer as melhores práticas e soluções às mais diversas empresas na área de controle e Automação Industrial. A empresa tem o cuidado de acompanhar o desenvolvimento de Minas Gerais e do Brasil se preocupando com o meio ambiente e garantindo as melhores soluções para sua empresa.

Esperamos que tenha gostado deste conteúdo que preparamos para você e que ele possa te ajudar a tomar as melhores decisões para sua empresa. Caso tenha dúvidas ou queira saber mais sobre Automação Industrial, clique aqui e entre em contato conosco, estamos a disposição para quaisquer esclarecimentos.

Grande abraço e até a próxima!


O conceito de indústria 4.0 se baseia na ideia de que cybers sistemas totalmente informatizados não somente monitorem todo o processo fabril, mas também consigam armazenar dados, replicar o mundo físico e tomar decisões de maneira autônoma.

Com isso, a automação de processos industriais, naturalmente, vem sofrendo mudanças.
Continue a leitura para saber mais!

Indústria 4.0

A “quarta revolução industrial”, como também é conhecida a indústria 4.0, teve início em um grande projeto tecnológico de origem alemã, que tinha como objetivo automatizar os processos de manufatura.

Para contextualização, podemos relembrar que nas revoluções industriais anteriores, passamos pela mecanização por meio do uso da água e energia a vapor, pela produção em massa com o auxílio da energia elétrica. Podemos relacionar a terceira revolução com o uso abrangente da tecnologia da informação a equipamentos eletrônicos.

O termo Indústria 4.0 foi utilizado pela primeira vez em 2011, durante a Feira de Hanover, como forma de sintetizar as mudanças promovidas nos processos industriais através da informatização. Desde então, a quarta revolução industrial já tomou forma e desenvolveu seus próprios temas consistentes. Este ainda abrange mais dois conceitos: a internet das coisas e a computação em nuvem.

Conheça os princípios da indústria 4.0

Os sistemas de automação de processos industriais com a implantação da tecnologia da indústria 4.0 tendem a surgir definidos por alguns princípios, são eles:

  1. Operação em tempo real: Se refere análise de dados e tomadas de decisão de uma forma instantânea.
  2. Interoperabilidade: A capacidade dos sistemas ciber-físicos de se conectarem pela internet das coisas, assim como a computação em nuvem.
  3. Virtualização: A indústria 4.0 propõe a cópia virtual de fábricas inteligentes.
  4. Descentralização: Muito além de realizar as atividades de forma automática, as máquinas também geram dados de forma automática.
  5. Orientação a serviços: A oferta de serviços ou produtos por meio de armazenamento em nuvem.
  6. Modularidade: A produção funciona conforme a sua demanda, Isso através de acoplamento e desacoplamento de módulos.

Redução de custos é uma das vantagens da automação

Um sistema de automação industrial é capaz de reduzir os custos de instalações, pois podem oferecer um ágil retorno sobre o investimento através do aumento na produtividade e eficiência.

Outro fator que contribui para redução de custos reside no fato de que boa parte dos sistemas automatizados é concebida para economizar energia elétrica quando as máquinas não estão em uso.

Ainda há o fato de que a automação industrial não só simplifica as tarefas de trabalho intensivo e reduz os custos da força de trabalho, como também minimiza a criação de resíduos.

Qualidade e a satisfação do cliente

Máquinas automatizadas são capazes de fornecer resultados de altíssima qualidade,  consistentes, repetíveis e escaláveis.

Quando os fabricantes utilizam a automação industrial, eles eliminam os problemas de controle de qualidade, pois os processos podem ser cuidadosamente regulados e controlados, de modo que a qualidade do produto final tenha uma qualidade superior.

Segurança

O projeto de um sistema automatizado industrial deve ter a premissa da segurança. Isto porque as organizações são totalmente planejadas para reduzir acidentes. No Brasil temos ainda uma norma regulamentadora (NR-12) que obriga os fabricantes de máquinas a seguirem rigorosamente práticas de segurança.

Um operador pode acidentalmente cometer erros ao operar uma máquina manualmente, mas um sistema industrial automatizado não pode cometer erros, pois é um sistema operado por computador e devido a este controle, as chances de acidentes são muito mais baixas em um sistema automatizado.

As máquinas industriais geralmente são projetadas para trabalhar em ambientes de temperaturas extremas, locais explosivos, fundição, processos químicos e outros ambientes que envolvem riscos potenciais para trabalhadores humanos.

Nestes locais onde existem riscos à saúde no manuseio e produção dos produtos, os sistemas de automação industrial são capazes de fornecer o máximo de segurança, pois além de operarem com movimentos pré-programados, podem eliminar totalmente a necessidade do contato humano.

Precisão

A precisão é um dos principais pontos dos benefícios da automação industrial. Isto porque todas as variáveis envolvidas nos processos de produção são medidos pelo computador principal, que geralmente possui um programa de inteligência artificial embutido.

Este programa assegura a precisão e o tempo para a produção. Sem esse tipo de programa computadorizado seria impossível manter uma boa precisão e timing.

Enquanto o sistema está em uso, diferentes tipos de sensores e processadores também são utilizados para o monitoramento de todo o processo para manter a precisão. Assim, as probabilidades de falhas na linha de produção são reduzidas ao máximo.

Monitoramento Remoto

O monitoramento remoto é um dos benefícios que mais obteve avanço nos últimos anos. Isto porque a operação remota e os sistemas de controle estão cada vez mais integrados na maioria dos sistemas de automação industrial. Estes sistemas permitem a um operador monitorar e controlar os processos de produção a partir de uma determinada distância.

Quebra de paradigma

Como podemos observar, são grandes os benefícios oferecidos pela automação industrial. Por muitos anos profissionais estiveram focados em desenvolver soluções altamente tecnológicas.

Observa-se, no entanto, que recentemente este avanço atingiu um estado muito mais amadurecido. Os custos de aquisição diminuíram e as alternativas aumentaram ao passo que cada vez mais diferentes indústrias passaram a implantar sistemas de automação industrial para acelerar a capacidade de produção.

Os benefícios da automação industrial tornaram-se muito evidentes, o que fez da automação uma alternativa mais atraente.

Conclusão

A Total Automação é uma empresa de comércio e prestação de serviços sediada em Betim, MG, fundada em 1997, com missão de oferecer as melhores práticas e soluções às mais diversas empresas na área de controle e automação industrial.

Somos distribuidores e representantes das empresas de renome mundial, que oferecem o que há de mais avançado em:

  • Fornecimento de produtos e soluções para controle de combustão;
  • Controle e segurança de queimadores e caldeiras;
  • Soluções em switches fim-de-curso e sensores industriais;
  • Instrumentação de campo e painel;
  • Termometria, CFTV e termografia infravermelha para processos industriais;
  • Automação e soluções pneumáticas;
  • Produtos e soluções com eficiência energética.

A Total Automação tem o cuidado de acompanhar o desenvolvimento de Minas Gerais e do Brasil se preocupando com o meio ambiente e garantindo as melhores soluções para sua empresa.

Caso tenha dúvidas ou queira saber mais sobre nossos serviços, entre em contato conosco, estamos a disposição para quaisquer esclarecimentos.

Clique aqui e venha conhecer nossos produtos!


A digitalização no âmbito da Indústria 4.0 mudará profundamente o mundo da produção industrial. Com o Festo Motion Terminal coloca uma plataforma padronizada no mercado, em nível mundial, que converge pela fusão inteligente da mecânica, eletrônica e software em um “sistema ciberfísico”. Este sistema permite a mais alta adaptatividade e flexibilidade.

Você já pode hoje construir as máquinas inteligentes de amanhã e preparar de forma exclusiva a sua aplicação para a Indústria 4.0.

Tecnologia para um futuro econômico e sustentável

O Festo Motion Terminal utiliza uma abordagem de conceito integral para uma operação com eficiência energética. Para o controle das fases principais das válvulas, foi desenvolvido uma tecnologia baseada em válvulas piezo elétricas, que possuem um baixo consumo de energia.

Com elas, é possível um controle proporcional com custo mínimo de energia. Com isto, em comparação com as válvulas de acionamento elétrico convencionais, amplamente difundidas no mercado, o consumo de energia para o controle pode ser reduzido em até 90%.

Aplicativos para a operação com eficiência energética

“ECO Drive”“ ou “Regulador de pressão (ECO)”: a Festo desenvolveu aplicativos que possibilitam um consumo de energia significativamente reduzido, tudo isso para uma operação com extrema eficiência energética. Isto é complementado com os aplicativos de diagnóstico, p.ex., para a detecção de vazamentos.

ECO drive – modo econômico

Consumo de energia dependente de carga

Com o aplicativo “ECO Drive”, o consumo de energia da pneumática agora pode, pela primeira vez, ser reduzido automaticamente para a energia realmente necessária para o movimento.

Com isto, o consumo de ar em tarefas puramente de movimento, nas quais não é necessária nenhuma força adicional na posição final, pode ser reduzido para o mínimo necessário. Veja aqui no exemplo de um dispositivo de segurança em funcionamento.

Operação padrão

Uma válvula padrão alimenta a rede de ar comprimido com 6 bar. No fim do movimento, é desenvolvida a pressão total de alimentação de 6 bar na câmara de avanço do atuador, independente da carga movimentada – o que pode ser visto na animação na área inferior.

ECO Drive com o Festo Motion Terminal: para economias de energia de até 70 %

A rede de ar comprimido alimenta o Festo Motion Terminal com 6 bar. Dependendo da fase de movimento e da carga, a pressão efetiva nas vias de trabalho é reduzida até o nível de pressão necessário para executar o movimento. Isto pode ser visto na animação na área superior.

  1. Durante o avanço do atuador: a pressão nas vias de trabalho são ajustadas de acordo com a carga a ser movimentada.
  2. No fim do movimento: a alimentação de ar comprimido é desligada. Dependendo da carga, o acionamento é operado com a pressão mínima necessária, p.ex., 4 bar. A pressão não é aumentada, como na operação padrão, para o nível da pressão de entrada do terminal (6 bar).
  3. Durante o retorno do atuador, sem carga: Aqui o sistema se auto ajusta a um nível de pressão ainda mais baixo – o consumo se readapta à carga de forma independente.

Aplicativos para o diagnóstico

Funções de diagnóstico para a prevenção de custos

Com a detecção precoce de vazamentos, você eleva a sua segurança de processo e a rentabilidade e, ao mesmo tempo, reduz perdas desnecessárias de energia. Deste modo, o Condition Monitoring ativo o apoia diretamente na redução de custos de Life Cycle dos seus equipamentos. Isto permite um Return on Invest (ROI) mais rápido e uma competitividade melhorada.

Nível de pressão selecionável

Por meio da possibilidade de especificar o nível de pressão digitalmente, é possível, no futuro, adaptar a pressão de operação individualmente e de forma descomplicada para cada movimento do atuador, tudo isso através do aplicativo de movimento “Regulador de pressão (ECO)”. Verifique se é efetivamente necessário utilizar a pressão máxima na execução das suas tarefas de automação!

  • Em aplicações de prenssagem, você pode, por exemplo, ajustar a pressão de retorno do atuador para o mínimo necessário para executar o movimento.
  • No movimento vertical descendente, o Festo Motion Terminal utiliza a força de gravidade para auxiliar na execução do movimento, isso economiza energia na medida que reduz a pressão de retorno do atuador.
  • Em funções com carga variável ou diferentes forças na posição final, cada movimento pode ser energeticamente otimizado e o nível de pressão pode ser determinado dependendo da carga.

Total Automação, distribuidora e representante Festo

A Total Automação é uma empresa de comércio e prestação de serviços sediada em Betim, MG, que tem a missão de oferecer as melhores práticas e soluções às mais diversas empresas na área de controle e automação industrial.

Somos distribuidores e representantes da empresa de renome mundial FESTO. Contamos com estoque estratégico e prestamos serviços de instalação, montagem, configuração e startup de instrumentos de controle e instrumentação industrial.

A Total Automação tem o cuidado de acompanhar o desenvolvimento de Minas Gerais e do Brasil se preocupando com o meio ambiente e garantindo as melhores soluções para sua empresa.

Clique aqui para saber mais sobre a Total Automação.

Esperamos que tenha gostado deste conteúdo. Caso ainda tenha dúvidas, entre em contato conosco para saber mais.
Grande abraço e até a próxima!

 

Fonte: https://www.festo.com/vtem/pt/cms/10170.htm


A integração revolucionária de segurança configurável e lógica programável em uma única plataforma modular.

 

A Honeywell Slate revolucionou trazendo para o mercado de combustão uma plataforma unificada que pode ser personalizada conforme o seu processo de negócio. Poupe tempo, diminua recursos e administração de diferentes ativos com o Slate.

Com o Slate, gerenciamento revolucionário de equipamentos de combustão, pela primeira vez se tem segurança confiável + lógica programável em uma única plataforma modular.

Continue a leitura para conhecer melhor essa solução:

 

Conheça o Slate

 

O sistema modular de fácil instalação montado em trilho DIN, oferece uma infinidade de opções de acordo com a necessidade específica da aplicação e com um display touchscreen customizado que completa o diferencial.

Com a revolucionária integração de segurança configurável e lógica programável, o SLATE pode ser facilmente personalizado para praticamente qualquer aplicação em qualquer setor.

Soluções em menos tempo e com muito menos complexidade.

Com o Slate você pode:

 

  • Realizar a gestão dos seus equipamentos de combustão em uma plataforma única e integrada.
  • Utilizar uma programação flexível de ferramentas que ajudam a implementar aplicações exclusivas  mais rapidamente.
  • Reduzir horas de engenharia. Elimina programação e montagem elétrica complexa e demorada.

Você está pronto para mudar seu processo de desenvolvimento para melhor?

 

Vencedor do prêmio de Segurança Exida 2016

 

O Slate foi reconhecido pela Exida, uma empresa de certificação e conhecimento especializada em segurança, segurança e disponibilidade de sistemas de automação, como vencedora na categoria Logic Solver. 

A Exida determinou, por meio de uma extensa análise do Slate, que demonstra um trabalho excepcional e tem a capacidade de desempenhar um papel fundamental para tornar o mundo um lugar mais seguro.

 

O kit de ferramentas SLATE

1. Unidade Base 

Unidade base que inclui fonte de alimentação e comunicações.

2. Módulo De Controle Do Queimador

Módulo de proteção contra chamas.

 

3. Módulo De Amplificador De Chama UV

Amplificadores de chama que respondem às entradas do detector de chama para indicar a presença de chama.

 

4. Módulo De Controle Da Proporção Do Ar De Combustível

Apresenta compensação integrada de O2, duas adições de controle do VFD e até quatro canais do atuador.

 

5. Módulo De Limite De Segurança

Permite definir limites de pressão ou temperatura a partir de qualquer sinal analógico.

 

6. Módulo Anunciador

Fornece status na primeira notificação.

 

7. Módulo De E / S digital 

Módulo De entrada e saída digital (24 VCC ou 24 a 240 VCA).

 

8. Módulo De E / S analógica

Módulo analógico configurável que suporta tensão, corrente, PWM, tacômetro e termopares.

 

Chegue ao mercado em apenas algumas semanas, em vez de meses ou anos

 

Programe mais rápido

Ferramentas de programação flexíveis ajudam a desenvolver e implementar aplicativos diferenciadores mais rapidamente.

 

Reduza o tempo de engenharia

Elimina fiação e programação complexas e demoradas.

 

Velocidade de produção

Carregue seu kit de aplicativos personalizado com um PC para duplicação mais rápida.

 

Servir mais indústrias com uma única plataforma

 

Configure, programe, construa e torne seu:

Qualquer aplicação

O esquema de E / S universal permite escolher como usar cada módulo, e a tela sensível ao toque personalizável permite alterar facilmente a experiência do usuário final.

 

Em qualquer lugar do mundo

As aprovações de segurança global e a fonte de alimentação universal (24 VCA / CC – 230 VCA) permitem atender uma base de clientes mundial mais ampla com uma única plataforma.

 

Operação eficiente

 

Diagnóstico intuitivo

Mensagens simples e fáceis de entender permitem o monitoramento da plataforma em tempo real e a tomada de decisões informada mais oportuna.

 

Eficiência energética otimizada

A guarnição de O2 integrada e duas adições de controle VFD no módulo de controle da proporção do ar de combustível garantem uma precisão excepcional enquanto otimizam o desempenho do queimador.

 

Guias do sistema de bordo

Guias do sistema na tela – facilitam a localização de respostas ou a solução de problemas no campo.

 

Serviço mais rápido

 

Indicadores de status

Os técnicos podem identificar rapidamente problemas – sem luzes piscando, sem códigos de falha e sem manuais.

 

Substituição plug-and-play

Módulos individuais podem ser facilmente removidos e substituídos sem a compra e reprogramação de uma plataforma totalmente nova.

 

Fácil backup de dados

Informações sobre o kit de aplicativos e a plataforma podem ser baixadas e salvas com um pen drive.

 

Total Automação

 

A Total Automação é uma empresa de comércio e prestação de serviços sediada em Betim, MG, que tem a missão de oferecer as melhores práticas e soluções às mais diversas empresas na área de controle e automação industrial.

Somos distribuidores e representantes da empresa de renome mundial Honeywell. Contamos com estoque estratégico e prestamos serviços de instalação, montagem, configuração e startup de instrumentos de controle e instrumentação industrial.

Fornecemos Serviço de Análise de Combustão em Fornos e Caldeiras com o objetivo de economia de combustível, eficiência energética e redução de emissões atmosféricas.

Clique aqui para saber mais sobre a Total Automação.

 

Conclusão

 

O SLATE, diferente de um computador de lógica programável comum, foi desenvolvido especialmente para o sistema de combustão, tendo as certificações adequadas que o tornam seguro e ideal para sua aplicação na combustão.

Se deseja saber mais sobre esta tecnologia e suas muitas aplicações para seu negócio, entre em contato conosco. Na Total Automação você encontra profissionais qualificados e equipamentos de alta qualidade que trazem segurança e confiança.

A Total Automação tem o cuidado de acompanhar o desenvolvimento de Minas Gerais e do Brasil se preocupando com o meio ambiente e garantindo as melhores soluções para sua empresa.

Caso tenha dúvidas ou queira saber mais sobre o Honeywell Slate, entre em contato conosco, estamos a disposição para quaisquer esclarecimentos.

Clique aqui e venha conhecer nossos produtos!


[vc_row][vc_column][vc_column_text]

O Festo Motion Terminal proporciona vantagens em toda a cadeia de valor – da concepção à modernização da sua máquina. Conheça como você pode utilizar o Festo Motion Terminal.
você estabelece a base para a instalação/sistema. O Festo Motion Terminal o apoia especialmente nos seguintes pontos:

Conceito de plataforma padronizado da instalação e dos módulos por meio de um produto extremamente flexível. Um cartucho de válvula realiza a função de mais de 50 componentes individuais.
Complexidade reduzida, apenas uma tecnologia para diferentes aplicações.
Custos de engenharia reduzidos na concepção e na fase de desenvolvimento, uma vez que o funcionamento está associado aos aplicativos de movimento. Com isto, as funções pneumáticas podem ser executadas de forma muito mais flexível, além de possibilitar rápidas adaptações, alterações e interpretações de concepção de projeto.
Custos resultantes reduzidos no caso de alterações posteriores: já que podem ser efetuadas alterações sem a necessidade de se alterar o hardware.
Proteção: não importa qual função se atribui a uma uma válvula do Festo Motion Terminal, a aparência externa será sempre a mesma. A programação por aplicativo impede que pessoas não autorizadas tenham acesso as configurações do sistema.

Veja o vídeo do Motion Terminal

https://www.festo.com/vtem/pt/cms/10171.htm?nmcmpid=113ec671fc17061215cedffc448c6de9
[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]


Ambientes industriais agressivos ou nocivos são aqueles que exigem um cuidado maior com os operadores e equipamentos, e são mais comuns do que se imagina.

Como exemplo, podemos citar segmentos industriais como o químico, o frigorífico, o de pneus e o alimentício, onde a prevenção dos processos corrosivos é essencial, uma vez que a corrosão pode comprometer operações completas, além de causar acidentes e perdas financeiras.

Outros cenários que também devem ser levados em consideração são as exigências de legislação para higiene e segurança, bastante comuns nas indústrias alimentícia e farmacêutica.

Estes cenários adversos também afetam a automação industrial, que é composta por equipamentos que contém circuitos e estruturas metálicas, itens que são diretamente afetados por agentes corrosivos, frio intenso e outras situações agressivas.

Observando esta questão, um dos principais fatores para que um projeto em um ambiente industrial adverso seja bem-sucedido é a correta identificação do cenário onde os equipamentos serão instalados.

Geralmente é possível identificar alguma substância química agressiva aos equipamentos, porém é preciso atenção aos danos indiretos, assim como os de longo prazo, ou seja, danos oriundos de uma combinação de fatores.

Por conta disso é essencial contar com profissionais especializados para elaborar um planejamento correto, evitando prejuízos.

Após a identificação dos fatores que tornam o ambiente adverso, é essencial implementar medidas que visem isolar o contato entre o ambiente e os equipamentos sensíveis aos mesmos, ou então buscar maquinários resistentes a esse contato.

Tudo dependerá da viabilidade técnica e econômica de implementação de uma ou outra medida.

Nem sempre o isolamento total do equipamento é viável, principalmente as IHMs (interfaces homem-máquina) que precisam estar acessíveis ao operador e consequentemente em contato com o ambiente adverso. Nesses casos, é necessário utilizar equipamentos com grau de proteção que permita a utilização de jatos de água para a higienização.

Atualmente, existem no mercado soluções que vão desde aplicação de poliuretano nos equipamentos até películas protetoras.

Mas independentemente do tipo de solução, algumas características básicas que devem ser observadas são a resistência a lavagem com jatos de água em altas temperaturas, resistência a imersão em água em até um metro de profundidade, além de outras que podem ser encontradas em normas de segurança, como a IEC 60529, uma das várias que regulam essas situações.

Desta forma, confirmamos a importância da identificação adequada dos fatores que tornam o ambiente adverso e a busca de equipamentos de automação industrial adequados que estejam preparados para suportar esses fatores.

Outro ponto que é de suma importância para as indústrias é a relação custo x durabilidade que atendam às expectativas. O equipamento precisa ter um custo viável e uma resistência que permita que o mesmo ofereça uma boa rentabilidade antes que seja necessária à sua atualização ou substituição.

Na Total Automação você encontra profissionais qualificados e equipamentos de alta qualidade que trazem muita rentabilidade ao processo industrial.

Fonte:https://www.automacaoindustrial.info/a-automacao-industrial-em-ambientes-adversos/


A natureza já inspirou a humanidade em vários aspectos, inclusive nos sonhos de alçar voo. A Festo, que desenvolve soluções para automação industrial, na busca de sempre inovar e melhorar a eficácia dos produtos, observa movimentos dos animais e tenta reproduzir na forma de robôs maravilhosos.

À primeira vista, os pássaros mecânicos e os pinguins robóticos parecem ter sido feitos apenas para fascinar pessoas, mas, a partir do estudo do movimento deles, novas aplicações são criadas para máquinas pesadas e não tão encantadoras.

Selecionamos alguns dos robôs mais legais desenvolvidos pela Festo. Confira abaixo:

BionicKangaroo

Um canguru usa os tendões das articulações das patas traseiras para recuperar energia de um pulo e ajudar no próximo e usa a cauda como contrapeso como forma de manter o equilíbrio. Por conta disso, esses animais conseguem atingir uma enorme velocidade e mantê-la por um longo período de tempo.

O BionicKangaroo da Festo usa uma mola para simular o tendão dos animais e economizar energia. Ele tem um metro de altura e pesa apenas 7 quilos, mas pode pular uma distância de 80 cm horizontais e 40 cm verticais.

O simpático robozinho é uma maneira de estudar essa economia de energia para conseguir utilizar o mesmo princípio de maneira mais eficaz em máquinas pneumáticas. Além disso, a pesquisa do modelo pode ajudar a desenvolver uma nova geração de próteses para humanos.

AquaRay

O AquaRay foi baseado em uma arraia e é ativado por controle remoto, podendo tanto deslizar pela água quanto usar as barbatanas para ganhar impulso na água e economizar energia.

Por conta de sua aparência e por se locomover quase igual a uma arraia real, o modelo pode ser usado para pesquisas marinhas e estudar o ecossistema sem atrapalhar o ambiente natural, já que não tem hélices e a sua forma permite que ele carregue sonares ou outros equipamentos para testes.

Ele é tão parecido com uma arraia de verdade que é um pouco preocupante se não é possível perder um desses robôs para predadores naturais, como tubarões, já que a versão robótica do animal não tem o ferrão para se defender.

SmartBird

Ao observar o voo dos pássaros, a Festo conseguiu construir um robô que replica muito mais que simplesmente a aerodinâmica das aves. As asas mecânicas do SmartBird batem e dobram em ângulos específicos que são muito mais suaves, copiando os movimentos que podem ser observados na natureza.

O SmartBird pode decolar, voar e pousar de maneira autônoma ou guiado por controle remoto. Ele tem dois metros de comprimento medindo as asas abertas de ponta a ponta e pesa menos de meio quilo.

O desenvolvimento desse modelo robótico ajudou a mudar a percepção de problemas em várias áreas diferentes. O fato de o robô ser tão leve pode ajudar a melhorar a eficácia do consumo de recursos e energia. Além disso, a análise do voo pode ajudar a melhorar o design de objetos aerodinâmicos.

Bionic Handling Assistant

A inspiração para esse robô veio da tromba dos elefantes e da sua capacidade de segurar objetos ao mesmo tempo que é extremamente versátil e flexível. Apesar de não copiar toda a estrutura do animal no qual foi inspirada, o Bionic Handling Assistant tem um uso bem mais óbvio que os outros robôs desta lista.

O robô pode ser utilizado para manusear objetos frágeis ou perigosos sem oferecer riscos para os humanos em volta por ser leve, flexível e pelo sistema evitar automaticamente colidir com pessoas ou objetos. Ele pode ser usado tanto em ambientes industriais quanto em tarefas que atualmente requerem humanos, como colheita de frutas.

O Bionic Handling Assistant conta com inteligência artificial e memória muscular para que, caso o robô falhe em pegar alguma coisa, ele consiga lembrar o que fez errado e adaptar pequenos ajustes no seu próprio posicionamento e comportamento muscular, até que finalmente acerte.

AquaJelly

Não contente com emular o comportamento de um único animal de cada vez, a Festo fez várias águas-vivas que juntas emulam o comportamento de um grupo delas.

Esse modelo foi apresentado pela primeira vez em 2008, mas a empresa continuou trabalhando nele e desenvolveu uma nova versão em 2013. Um dos usos para a nova AquaJelly é o monitoramento de condições e transmissão dos dados diretamente para um smartphone. Um app pode ser usado para registrar e monitorar individualmente os dados de cada robô.

Um uso interessante para esse modelo robótico pode ser no tratamento de águas residuais para testar em tempo real a qualidade do líquido, assim como o gerenciamento do uso de cada reservatório.

AquaPenguim

Apesar da aparência gorducha e bonitinha, pinguins de verdade têm um corpo hidrodinâmico que permite que eles sejam excelentes nadadores. Eles conseguem mergulhar até 700 metros e nadam centenas de quilômetros por dia. Na água, eles são ágeis e conseguem atingir até 30 quilômetros por hora.

A festo se inspirou nisso para fazer o AquaPenguin, um veículo submarino autônomo que pode se orientar de maneira independente e desenvolver diferentes padrões de comportamento quando está trabalhando em grupo com outros robôs do mesmo tipo.

O AquaPenguim consegue manobrar em espaços apertados e, diferente dos pinguins de verdade, pode até nadar de ré. Ele também carrega um sonar 3D que permite determinar a posição espacial, evitar colisões, navegar de maneira autônoma e se comunicar com outros pinguins robóticos. O AquaPenguin conta também com um medidor de pressão para operar em grandes profundidades em mar aberto.

BionicOpter

Libélulas podem mudar de direção durante o voo, voar de ré e pairar por até um minuto. A versão robótica desse inseto também imita essas habilidades usando quatro asas que têm uma base de fibra de carbono coberta por uma fina camada de poliéster.

A BionicOpter mede 44 cm da cabeça até a ponta da cauda e 63 cm de abertura de asas. Ela é bem grande para algo que pesa apenas 175 gramas.

eMotion Spheres

Apesar de não ter uma aparência tão similar aos animais quanto os outros robôs da lista, as eMotion Spheres na verdade são uma evolução do modelo da BionicOpter, a libélula robótica da Festo.

A demonstração gravada pela empresa foi feita com oito esferas, cada uma delas guiada por oito pequenas hélices na parte exterior e o interior cheio com hélio para flutuação. Os controles se adaptam e têm a mesma potência em qualquer direção.

As esferas usam tecnologia de infravermelho para a movimentação. Dez câmeras são instaladas na sala para gravar as esferas através dos marcadores infravermelhos e transmitem automaticamente os dados para um computador.

Os dados calculados pelo computador voltam para as esferas, que implementam as ações imediatamente. Isso cria um sistema de movimentação e monitoramento, e a ideia é que essa técnica possa ser usada para inspecionar fábricas no futuro.

A Total Automação faz parte desta evolução, Total Automação é FESTO.

fonte: https://www.tecmundo.com.br/robotica/69037-conheca-8-incriveis-robos-festo-inspirados-natureza.htm


Ficamos muito contentes em participar da 2ª edição do Encontro dos Distribuidores – ENCODIFES, nos dias 20 e 21/02/2018,  Total Automação é Distribuidor Festo em Minas Gerais.

Nosso time de vendas participou de 2 dias de imersão no mundo Festo, alinhamos diretrizes de trabalho e conhecemos novas tecnologias.

Estamos prontos para lhe atender com as melhores soluções.


O tema aqui exposto é sobre as empresas e profissionais que prestam serviços de entrega de soluções em automação industrial, é claro e evidente que neste mercado, muita coisa mudou, desde estruturas de negócios, lucratividade, tecnologias e procedimentos de projetos.

Para tanto o momento é de reflexão, pois a transição ocorre e, não sabemos como será o futuro, não temos pretensão de escrever sobre isso, é muito arriscado, todavia nos propomos a apresentar fatos, estudos e experiência nesta área, com o principal objetivo, de apoiar estas empresas e profissionais de serviços, que se deparam dia a dia com dificuldades, muitas vezes sem um entendimento mais claro, dando margens a explicações que levam normalmente a justificativa da crise que hora vivemos, todavia, esta mesma crise, apenas acelerou as mudanças nas relações de mercado, que nos propomos a expor aqui.

Quando pensamos em mudança de mundo, mercado, produção e consumo, podemos pensar que a escassez aumenta em função do aumento da população, que quer consumir cada vez mais, o custo aumenta, pois, a oferta e demanda ainda é nosso modelo econômico vigente, agora o componente conhecimento, individual e em grupo, passa a ser mais um elemento de análise, pois as pessoas tem mais acesso a informações, conhecimento e transforma o mercado que atuam.

Em nosso mercado de uma forma geral, em função das mudanças, podemos pontuar o passado e o futuro, de forma a criar uma delimitação para nosso tema:

Antes

  • O valor da venda do que se produzia remunerava toda a cadeia produtiva, mesmo com baixa eficiência na produção;
  • A competição praticamente não existia, pois, as barreiras de entrada eram muito grandes e havia baixa tecnologia;
  • As referências de consumo eram locais.

Atualmente

  • Sem escala, não se consegue remunerar toda a cadeia que é muito maior e o custo altera a eficiência diretamente;
  • As barreiras de entrada diminuíram, aumentando muito a competição entre empresa devido a tecnologia;
  • O mercado é global – mesmo que o consumo seja local pensamos na globalização.

Em relação à área de automação industrial, que vamos tratar aqui somente por automação, uma vez que nosso foco é falar da indústria, podemos pontuar os seguintes fatos que estão ocorrendo:

  • As empresas de integração de automação cada vez têm menos lucratividade, assumindo mais riscos;
  • O conhecimento tecnológico cada vez é mais democrático, fácil e barato;
  • A sensação de falta de entrega de valor na automação é cada vez maior no cliente final.

Mas o que aconteceu com a automação?

Essa é a grande pergunta. Não queremos esgotar o assunto e nem definir uma regra, apenas mostrar uma visão geral.

Tanto a sociedade, a economia e a política, vivem Ciclos de Vida, em nosso caso vamos pontuar a 3ª Revolução Industrial, ocorrida próximo de 1969, que foi a incorporação da eletrônica no meio produtivo, alterando totalmente a produção industrial, neste momento houve o rompimento do velho modelo de produção, dando lugar há uma nova tecnologia.

Quando ocorre uma grade mudança, ou uma revolução desta envergadura, cria-se um novo modelo de mercado, onde no seu início, a chamada Barreira de Entrada, isto é, a dificuldade que se impõe a novos entrantes no mercado é muito grande, haja vista, poucas empresas conhecerem este novo mundo que se descortina, todavia, inicia-se uma “corrida” para poder participar deste novo mercado.

Como o tempo, a tecnologia não para e o conhecimento vai se disseminando, se pensarmos nesta 3ª revolução, temos algo como 40 anos ocorridos, nesta linha do tempo, a barreira diminui, aumentando a participação de novas empresas no mercado, aumento de concorrência, chegando a um ponto de muita facilidade de participar deste negócio.

O problema é que quando a barreira de entrada é muito pequena e a concorrência cresce muito, o Valor de entrega individual das empresas, cai na mesma proporção, interferindo diretamente no lucro das mesmas, chegando a um ponto, que tende a ser insustentável o próprio negócio, no modelo atual.

E é isso que está ocorrendo, haja vista, que estamos em mais um final de ciclo econômico, abrindo um novo formado, para nós da automação isso estamos chamando de Indústria 4.0, que podemos apontar seu início em 2011, ainda em transição, todavia já incomodando empresas e profissionais que atuam nesta área.

Para quem usa ou compra automação, há uma visão ou até mesmo uma busca, onde podemos mostrar as principais abaixo:

  • Automação é cara e é uma commoditie;
  • Buscam segurança na operação e alta disponibilidade;
  • A operação não deve pensar em tecnologia;
  • A tecnologia deve ser alinhada ao negócio (estratégica), agregar valor;
  • Projetos internos com falta de mão de obra, prazo e orçamento apertado;
  • Espera uma automação modular, replicante, amigável e fácil de customizar;
  • Que a automação conecte gestão industrial;
  • Que a automação tenha manutenção de ativos e diagnósticos fácil.

A automação vem mudando e dando nova forma enxergar soluções:

  • De hardware e software para sistemas integrados;
  • De algoritmos para aplicações;
  • De malhas e lógica para integração da informação;
  • De centrado na tecnologia para centrado no negócio;
  • De melhores tecnologias para melhores parceiros.

Há em automação um conflito “trade off”, que gera dificuldades para equilibrar a viabilidade de negócios e tecnologia:

  • Na engenharia, cada cliente quer um projeto especial e os custos de profissionais são muitos altos
  • Na tecnologia, busca-se padrões e modelos (pré-formatados) e produtos de baixo custo

Vamos entender um pouco da história da automação, na visão de integração, onde no início:

  • A automação (conhecimento) “pertencia” ao profissional;
  • A solução era regionalizada;
  • A entrega era um fragmento (ou parte).

Hoje temos uma outra realidade, onde a automação (necessidade) é de cada pelo cliente, a solução é global e a entrega é do pacote (solução).

Também, em função da aplicação comum da automação, gerou-se alguns mitos:

  • A automação desemprega – não, automação mantém a empresa empregando;
  • A automação é cara – não, sem automação não há indústria viável;
  • A automação é diferencial – não, automação só viabiliza o negócio e equaliza o mercado.

Mas então, o que mudou?

Podemos ver abaixo os principais fatores:

  • A automação deixou de ser conhecimento especializado de poucos;
  • A automação se tornou uma commoditie de solução através de especificação técnica, gerida por Suprimentos (Compras);
  • A automação (hoje) deixou de entregar vantagem competitiva nos processos.

Mas porque isto aconteceu?

Vamos ver os principais pontos:

  • Está acontecendo com a automação hoje, o que aconteceu com a informática em meados dos anos 90.
  • A automação é comprada como solução pronta, sem entrega de valor agregado ou aumento de vantagem competitiva;
  • O conhecimento de automação cada vez é orientado mais em produtos não em resultados.

Com todos estes acontecimentos, vamos ver os novos direcionadores tecnológicos e de mercado que apontam para um novo horizonte, para isso, vamos entender o que é Valor:

  • Valor é percepção de que você recebe mais e a mais do que compra/contrata;
  • Automação industrial como solução de controle operacional NÃO entrega valor;
  • Automação industrial como automação da produção entrega valor.

Automação é uma commoditie ou entrega VALOR?

Uma pergunta que é muito recorrente no meio, é questionar se a automação é um commodities ou entrega Valor, para isso é necessário fazer as perguntas no formato abaixo:

  • Commodities é uma mercadoria global sem diferenciação (foco preço);
  • A Automação é contratada para controle operacional?
  • A Automação é contratada para gestão da produção? Valor!

profissional de automação hoje deve trabalhar em um novo formato, em uma postura que leve o VALOR da automação para a produção, consequentemente para o produto final, logo ele deve:

  • Ter conceitos multidisciplinares;
  • Quem projeta deve saber porque fazer e o que fazer como foco;
  • Quem executa deve utilizar ferramentas baseado em escala;
  • Quem integra deve ter foco em produção industrial;
  • Quem vende deve mostrar valor agregado.

Principais mudanças no modelo de empresas de integração de automação

Agora vamos falar um pouco sobre os integradores em si, tanto os prestadores de serviços quanto ao modelo de empresas de integração de automação, para isso vamos traçar as principais mudanças que ocorreram ao longo do tempo:

Antes

  • Entregavam a solução completa com conceitual
  • Detinham o Know-how (tecnologia e processos) mas não assumiam o risco
  • Não se responsabiliza pela produtividade

Atualmente

  • Entregam a execução com conceitual do Cliente
  • Detém o Know-how (somente tecnologia) e assumem o risco
  • Se responsabiliza pela produtividade (tendência)

Nesta mesma linha, vamos comentar a mudança que ocorreu na concorrência, lembra-se de quando entendemos sobre as barreiras de entrada, que foram diminuindo com o tempo, a concorrência aumentou muito, então vemos:

Antes

  • Baixa concorrência
  • Conhecimento especialista
  • Alto índice de lucratividade
  • Baixo risco

Atualmente

  • Alta concorrência
  • Conhecimento generalizado
  • Baixo índice de lucratividade
  • Alto risco

Quais os desafios que os integradores enfrentam hoje?

Podemos pontuar os maiores desafios que os integradores enfrentam hoje, sem pensar em tecnologias novas, apenas desafios comuns, que se não forem administrados e negócio normalmente não se torna viável:

  • Reduzir tempo de engenharia;
  • Reduzir configuração de controle;
  • Simplificar interfaces de redes e I/O;
  • Simplificar interfaces softwares de gestão;
  • Interfaces com sistemas de fácil conexão com legados/nativos;

Quais as principais expectativas do cliente que contrata automação?

Também do lado de quem é usuário e contrata automação, tem expectativas muito atuais, podemos listar as principais, a origem desta informação é de pesquisa de grandes players de automação, com foco no cliente e usuário:

  • Gerenciamento do ciclo de vida dos ativos;
  • Justificar e qualificar valor da automação;
  • Metodologia avançada de integração;
  • Reduzir complexidade de implantação com aumento da complexidade tecnológica;
  • Ferramentas de fluxo de dados para integração de IHM e PLC;
  • Justificar e implantar migração e atualização de sistemas;
  • Gerenciamento da informação e conhecimento operacional;
  • Interoperação e comunicação de sistemas;
  • Simulação de máquinas e processos – OTS;
  • Diagnóstico Built-in – integrado/embarcado;
  • Melhorando e gerenciando documentação técnica.

Tendências para o futuro…

De face a tudo isso, podemos falar um pouco nas tendências, uma vez que há uma mudança ocorrendo, as principais diretrizes de mudança:

  • A automação industrial caminha para a Informática e Gestão Industrial;
  • controle de processos caminha para Automação da Produção;
  • Os processos cada vez mais serão embedded, como as máquinas;
  • Produção Digitalizada (Indústria 4.0) – Cloud, IoT, Big Data;

Com isso, podemos traçar uma visão de futuro, uma vez que o mercado “fala” e já estão ocorrendo uma série de alterações neste formato, sendo as principais:

  • O mercado tende a dividir-se em Grandes Players e Integradores Superespecializados (o meio tende a acabar);
  • O cliente cada vez comprará menos produtos, Consumirá Serviços baseado em resultados;
  • A transferência de risco dará o tom dos negócios de tecnologia;

Podemos entender que há uma mudança de filosofia de mercado, no que se refere a implantação de sistemas de automação, eis as principais:

  • Como é: compro hardware e software – Como tende a ser: alugo e uso em forma de serviços
  • Como é: contrato baseado em entrega física – Como tende a ser: contrato baseado em performance
  • Como é: contratação de gestores para tomada de decisões intermediárias – Como tende a ser: uso do Big Data – modelos (Mineração de Dados e Machine Learning)

A evolução da TI nas empresas a tornaram estratégicas, isto é, a TI está dentro do negócio da empresa, com a automação não deveria ser diferente, empresas que viram isto há algum tempo, estão obtendo melhores margens de lucratividades, entendendo que a automação industrial é estratégica, isto é, está no negócio produtivo da indústria, para isso, devemos entender a TO Tecnologia da Operação de forma estratégica, pois vemos Estratégia:

  • A Automação como responsável pela transformação na planta (produção, custo e segurança)
  • Implantar a tecnologia que permita a transformação da planta (customizado para o negócio)
  • Integrar a plataforma de automação com a de negócios da empresa
  • O ciclo de vida da Automação será o mesmo do negócio, exige rapidez e inovação
  • Prepare-se para digitalização da planta, informações em tempo real de comando, controle, operação, manutenção e segurança a Era da Indústria 4.0

A tecnologia está mudando dentro da automação, em relação aos sistemas de hardware e software, impactando em projetos de integração, podemos dizer que já temos uma tendência de mudança real nos integradores, sendo estas tecnologias a saber:

  • A Cibersegurança será foco nos projetos de sistemas
  • O controle estará nos dispositivos
  • A inteligência estará nas redes
  • A CPU principal terá função de “tomada de decisões”
  • Os sistemas de segurança serão independentes e autônomos
  • As redes serão autoconfiguradas bem como os dispositivos
  • Os protocolos se convergirão (ou serão transparentes)

A TI já é grande usuária de consumo de tecnologia na forma de serviços, isto é, não se compra mais hardware e software, com isso não se tem estruturas de operação e manutenção destes sistemas, na automação, podemos dizer que também é uma tendência, mesmo que seja muito novo o conceito de Outsourcing dento da área, mas podemos sim, já pensar num futuro próximo, empresas de automação implantando hardware e softwares, cobrando por serviços consumidos e entrega de performance.

Seria a era das Infraestruturas, Plataformas e Softwares como Serviço, trazendo os conceitos para automação, logo teríamos:

  • AIaaS – Automation Infrastructure as a Service
  • APaaS – Automation Plataform as a Service
  • ASaaS – Automation Software as a Service

Para os integradores então, o que podem esperar frente a todas estas mudanças, uma vez que já estão ocorrendo? Observem as principais tendências:

  • As empresas de integração terão perfil de TI e Produção Industrial
  • Os contratos serão baseados na “entrega” de resultados
  • A infraestrutura (hardware e software) serão locados (Outsourcing), sem custos de propriedade

Quanto à indústria 4.0, não podíamos deixar de falar, uma vez que é a 4ª Revolução Industrial e já está impactando nos modelos de especificação de sistemas de automação, daí a importância dos integradores se prepararem.

A grande questão que precisamos entender são os passos que levam a Indústria 4.0, daí vamos saber porque a automação é a base do controle produtivo.

As etapas a saber:

  • Automação – viabiliza o negócio sendo a base
  • Otimização – 0nde se tem a lucratividade, produção e custos
  • Convergência – aumenta a agilidade na tomada de decisões
  • Redefinir o Propósito – a permanência no mercado
  • Indústria 4.0 – um Novo Mercado

Ao integradores e empresas vejam o quadro da apresentação de Projetos, para se preparar para a prestação de serviços para a Indústria 4.0, as diretivas de projetos.

Podemos descrever os principais pontos a serem observados na Indústria 4.0, que impactarão na integração de demandas por projetos tecnológicos:

  • Convergência da TI, TO e IIoT
  • A Internet das Coisas estará na Indústria (IIoT), as máquinas “conversarão” entre si
  • O Big Data mudará as decisões de reativas para proativas
  • As informações das pessoas, máquinas e processos serão onipresentes pelo Cloud
  • A Cibersegurança sustentará os limites da operação automatizada
  • A Inteligência Artificial apoiará tomada de decisões, eliminando erros e desperdícios

Com isso, devemos pensar nos novos direcionadores da Indústria 4.0, isto é, como será esta nova produção, lembrando que as principais diretrizes da Automação 4.0, é entregar para a planta industrial, capacidade de elaborar novas formas de fazer negócios, eliminar o desperdício e o erro, produzir de forma customizada e personalizada, para isso, a indústria do futuro será:

  • Interoperável
  • Virtualizada
  • Flexível
  • Uso do Big Data e Cloud
  • Usa Inteligência Artificial
  • Descentralizada

A busca para atender este novo mercado deve estar centrada nas pessoas, isto é, o profissional que irá lidar com projetos, implantação e operação destas novas tecnologias, como isso, podemos pensar que, devemos entender a realidade, frente aos desafios:

  • Faltam profissionais no mercado com conhecimento específico
  • Caminhamos para era das superespecializações
  • O modelo de Emprego mudará para o formato de Trabalho
  • A educação continuada é o único sustentáculo dos profissionais de tecnologia
  • Os alunos de escolas técnicas em geral devem sair com formação conceitual e base científica

Na contratação, arguimos um novo pensamento, uma nova forma de desenvolver negócios, para isso, podemos pensar:

  • Automação “Comoditizada”, não Gera Valor na Produção (Não tem diferencial)
  • Evoluir de, contratar Sistemas com ET (Especificação Técnica) para contratar a Empresa que tem a melhor solução
  • Evoluir de, contratar custo, para contratar o melhor Retorno sobre o Investimento

Conclusão

Para concluir, gostaria de finalizar com algumas perguntas, que gerem inquietação e motivação para a busca de um novo horizonte, entendendo que os desafios existem e podem se tornar grandes oportunidades:

Como você se preparando para ser o Integrador do Futuro?

Como estamos desenhando nossos processos, liderando as pessoas e orientando nossos resultados para isso?

O quanto estamos acreditando na Mudança?