Brasil precisa desenvolver áreas ligadas à tecnologia para se tornar competitivo, mas empresas catarinenses já investem no conceito de Indústria 4.0

A utilização de equipamentos como robôs, sensores e inteligência artificial otimiza o fluxo das operações nas indústrias de todo o país. Por isso, há quem acredite que o futuro da indústria brasileira está na automação dos processos: diretamente relacionada à Indústria 4.0, também conhecida como “quarta revolução industrial”, a automação dos processos industriais é vista hoje como o futuro das operações fabris. A inserção da tecnologia nas atividades possibilita que as etapas de produção ocorram de forma mais ágil, eficiente e com menor chance de falhas.

Enquanto estratégia, a automação industrial pode ser adotada por empresas de todos os portes, pois contribui para a produtividade e para a redução de custos: de acordo com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a Indústria 4.0 pode contribuir para reduzir no mínimo R$ 73 bilhões em custos industriais por ano.

Isso se deve à automatização de processos e a possibilidade de prever falhas e agir de forma preventiva: por meio de tecnologias como o monitoramento remoto, o uso de robôs e de inteligência artificial, a interferência humana nas operações se torna cada vez menor, o que minimiza as chances de erro e agiliza as atividades.

Indústria 4.0 no Brasil

Hoje, o setor industrial brasileiro caminha nessa direção. A automatização está cada vez mais presente no dia a dia das fábricas, e os princípios da Indústria 4.0 se tornam realidade em diversas empresas. Com o acesso remoto e o monitoramento em tempo real, muitas indústrias vêm se descentralizando, rompendo barreiras físicas e ampliando seus departamentos de análise de dados. A expectativa da ABDI é que, até 2028, 15% das indústrias do país estejam adaptadas e atuantes de acordo com esse conceito.

No entanto, campos do conhecimento que são cruciais para o desenvolvimento e implementação da Indústria 4.0 ainda estão em desenvolvimento no Brasil: o Big Data, a inteligência artificial e a internet das coisas são exemplos de áreas que ainda precisam crescer no país para que cada vez mais indústrias se apropriem dessas tecnologias. De acordo com um estudo realizado em 2019 pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o Brasil ainda não podia ser considerado parte do conceito de indústria 4.0 e precisaria desenvolver essa área para ser competitivo no cenário global.

Mas isso não impediu que indústrias brasileiras de diversos setores buscassem tecnologia para adaptar seus processos de produção.

Toda a unidade é 100% conectada e possui um sistema de monitoramento dos equipamentos em tempo real, o que permite que todo o processo seja acompanhado de forma remota. Os dados são armazenados em nuvem, o que contribui para ações preventivas e previsão de eventuais falhas a partir da análise das informações sobre o funcionamento da fábrica. Além disso, os sistemas automatizados de montagem contam com a presença de robôs.

A Krona tem ainda duas outras unidades em Joinville, cidade-sede da empresa desde sua fundação há 27 anos, e uma em Marechal Deodoro (AL). Entre seus produtos estão tubos e conexões para água fria, água quente e esgoto, acessórios hidráulicos, bem como uma completa linha elétrica. A Total Automação é referência em qualidade na automação industrial, e possui soluções completas.


Uma das principais preocupações do mundo contemporâneo é a garantia de um ambiente de trabalho saudável. Porém, para isso, é necessário tomar medidas eficazes de segurança — por exemplo, o controle das exposições a gases e vapores.

Existem diversas substâncias que podem ser extremamente prejudiciais para a saúde dos colaboradores, podendo causar alguns problemas e, inclusive, levar à morte. Então, é fundamental que consigamos criar um ambiente salubre.

A dúvida que fica é: o que precisamos saber sobre o controle da emissão e permanência de gases e vapores tóxicos? Continue a leitura deste artigo e descubra!

Qual a diferença entre gases e vapores?

Do ponto de vista físico-químico, gases e vapores são dois estados diferentes, cada um com suas características e importâncias.

O gás pode ser definido de forma simples como uma substância que se encontra no estado gasoso quando submetida a condições normais de temperatura e pressão (CNTP). Os vapores, por sua vez, são a fase gasosa das substâncias líquidas na CNTP e que, como o próprio nome diz, têm tendência à evaporação.

Não podemos deixar de mencionar que a CNTP representa a temperatura de 25 ºC e 760 mm Hg (milímetros de mercúrio, equivalente à pressão ao nível do mar). Além disso, a pressão de vapor, responsável por definir a volatilidade de uma substância, é outro fator a se considerar.

O que é um ambiente insalubre?

Ambientes insalubres são aqueles em que a concentração de gases, vapores, poeira e fumos, em suspensão no ar, podem ser nocivos à saúde dos colaboradores (como em porões, galerias e galpões). Sendo assim, é fundamental tomar medidas para garantir o controle para gases e vapores nesses locais.

Como os gases são classificados?

Saber a classificação do gases pode ser de grande valia para a determinação dos métodos de proteção. Veja, a seguir, as características dos principais tipos:

Gases asfixiantes simples

Os asfixiantes simples são aqueles que provocam o efeito da asfixia, popularmente conhecida como falta de ar. Pode-se dizer que esses gases são responsáveis por reduzir os níveis de concentração do oxigênio no ar ambiente, tornando-o deficitário em oxigênio, o que pode causar a dificuldade de respiração.

A presença desse tipo de gás pode trazer sérias consequências de saúde aos trabalhadores, podendo levá-los à morte. Gases como nitrogênio, hélio e metano são exemplos de gases asfixiantes simples.

Gases tóxicos

Os gases tóxicos apresentam alto grau de toxicidade, pelo fato de serem formados por substâncias nocivas se inaladas. O grau de toxicidade dependerá do tipo da substância presente, de sua concentração e do tempo de exposição.

Um bom exemplo de gás tóxico é o monóxido de carbono, que sai do escapamento dos carros.

Gases combustíveis

Os gases combustíveis, por sua vez, são aqueles que podem entrar em combustão na presença da concentração certa de oxigênio e causar incêndios e explosões.

A presença desse tipo de gás em um limite inferior de explosividade e ponto de fulgor (temperatura mínima para gerar uma concentração de vapor inflamável, na presença de uma fonte de ignição) pode ser a origem de um incêndio ou uma explosão. O gás natural e o propano são exemplos de gases combustíveis.

Quais as consequências para a saúde do trabalhador?

Garantir o correto controle para gases e vapores é fundamental para a saúde do trabalhador. A presença de certas substâncias pode trazer consequências gravíssimas para a vida das pessoas.

Como destacado no tópico anterior, alguns gases podem levar as pessoas à morte em poucas horas. Outros, como o benzeno, podem causar dores de cabeça, náuseas, irritação das vias respiratórias e até mesmo câncer.

Além disso, existem outras substâncias nocivas à saúde humana que podem danificar o sistema nervoso central, causando prejuízos neurológicos, infecção pulmonar, anemia não regenerativa e outras doenças.

Como aplicar medidas de controle para gases e vapores?

O controle para gases e vapores pode ser realizado por meio de uma análise química do ar. Para isso, recomenda-se a realização de uma avaliação periódica do ar ambiente, buscando identificar a presença de substâncias prejudiciais à saúde e garantindo o controle de tais substâncias.

Para simplificar o processo, pode ser válido contar com uma empresa especializada no assunto. Empresas do ramo são qualificadas para analisar o ambiente ocupacional e saberão exatamente o que fazer caso a condição encontrada não seja adequada.

Gostou das informações sobre o controle para gases e vapores que destacamos? Ficou com alguma dúvida? Então não hesite em entrar em contato conosco. Estamos prontos para te ajudar!


O mundo do trabalho vem passando por muitas mudanças e os profissionais precisam acompanhar as revoluções que estão acontecendo no mercado.

Carreira na era digital
A quarta revolução industrial traz grandes transformações para o mercado de trabalho. Listamos aqui oito megatendências que os profissionais precisam ficar atentos
Até 2021, pelo menos 50% do PIB (Produto Interno Bruto) mundial será digitalizado, estimulado pela transformação dos negócios, segundo a consultoria IDC. A quarta revolução industrial tem potencial para melhorar a fabricação de produtos, aumentar o engajamento com clientes, elevar a qualidade de vida e também mudar o cenário do mundo do trabalho. As novas tecnologias exigem novas habilidades e os que estiverem em linha com as exigências do mercado na era digital vão se dar bem.

Veja a seguir oito megatendências sobre o futuro do trabalho -e que você deve ficar atento:

Cibersegurança

A digitalização e a adoção de novas tecnologias melhoram a vida das pessoas e as economias, mas aumentam também o risco de ataques cibernéticos. É necessário reforçar medidas contra falhas e ameaças de segurança nas fábricas digitais, cidades inteligentes, redes de energia em diversos sistemas para evitar interrupção de serviços. Esse cenário mostra o quanto será importante o papel dos especialistas em cibersegurança. Um estudo global conduzido pelas consultorias Booz Allen Hamilton e Frost & Sullivan revela que em 2020 haverá escassez de talentos com conhecimento em segurança digital. Entre os profissionais que serão mais requisitados estão engenheiros de cibersegurança; analista de segurança e defesa digital; profissionais com know-how em gerenciamento de operações e segurança; incidente e ameaças forenses; e aqueles que tenham conhecimentos em governança risco e compliance; entre outros.  

Internet das coisas

Aproximadamente 20 bilhões de objetos serão conectados à internet das coisas (IoT) até 2020, de acordo com projeções do instituto de pesquisas Gartner. A previsão inclui objetos com função dedicada como máquinas de venda automática, motores, turbinas e carros conectados. A tecnologia permite sentir, medir e mediar tudo, desde oleodutos até o corpo humano, gerando dados para tomada de decisão com mais rapidez e assertividade. Sua expansão terá um grande impacto na economia global pela capacidade de transformar negócios. Esse avanço amplia os horizontes no mercado de trabalho futuro para engenheiros especializados em automação industrial, analistas de internet das coisas, desenvolvedores de software, profissionais com domínio em segurança digital e outros talentos com habilidade para lidar com as novas tecnologias.

Inteligência Artificial

Com enorme poder computacional para automação e processar dados em grandes volumes, a inteligência artificial (IA) é uma das tecnologias que mais vai crescer nas próximas décadas. Ela é fundamental para otimizar instalações da indústria 4.0, construir cidades inteligentes e moldar a sociedade do futuro. Já há muitos robôs com IA atuando como assistentes virtuais em call centers, fábricas digitais, apoiando médicos na descoberta de diagnósticos e em outras atividades. A IA está substituindo a mão de obra física em diversas tarefas e tende a ocupar cargos de muitos profissionais nos próximos anos, alterando a paisagem do mundo do trabalho. No entanto, estudos do Gartner indicam que a inteligência artificial vai gerar mais empregos do que eliminar. A previsão da consultoria é de que essa tecnologia criará 2,3 milhões de novas oportunidades de emprego no mercado mundial até 2020. O Massachusetts Institute of Technology (MIT) destaca três profissões novas que vão surgir para lidar com a IA: Explainers (responsáveis por interpretar o funcionamento complexo dos algoritmos de preservação e análise das informações), Trainers (profissionais que criam algoritmos para que IA simule comportamentos humanos e linguagem mais natural possível); Sustainers (encarregados por avaliar se os sistemas de IA estão em operação conforme o planejado).

Big data analytics

Os avanços da Internet das Coisas (IoT), das aplicações de inteligência artificial e de outras tecnologias, geram montanhas de dados que a cada segundo podem transformar negócios. Com estratégias de big data analytics, é possível cruzar informações, fazer correlações, traçar tendências e prever o futuro. São insights que identificam novas oportunidades, ações para personalizar produtos e agilizar processos internos. Mais que um conjunto de ferramentas para garimpar informações de valor para a tomada de decisão, as empresas precisam de cientistas de dados, um talento raro não só no Brasil. Esse profissional é difícil de ser encontrado por causa da exigência do seu perfil. Ele tem que saber matemática, estatística, conhecer tecnologia e ter visão de negócios. São competências que vão além de uma única formação. Por isso, os que investirem nessa área podem se dar bem no mercado de trabalho. As profissões que estão sendo criadas para domar o big data analytics são, além do cientista de dados, engenheiro de dados e estrategista de dados.  

Indústria 4.0

A quarta revolução industrial, chamada de indústria 4.0, propõe a transformação das fábricas para mais eficiência, flexibilidade e personalização de produtos de acordo com a demanda do cliente. Empresas de manufaturas e fornecedores de tecnologias, precisam de profissionais com graduação em engenharia (de diversas áreas), especialistas em automação, robótica e talentos com domínio das novas plataformas digitais para acelerar a indústria 4.0 com inovação em todo o mundo. Um levantamento do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) apontou o surgimento de novas profissões como: mecânico de veículos híbridos; mecânico especialista em telemetria, programador de unidades de controles eletrônicos e técnico em informática veicular.

Energia Renovável

A energia é o principal contribuinte para mudanças climáticas, responsável por cerca de 60% das emissões globais de gases do efeito estufa, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). Para reverter esse quadro, países do mundo inteiro estão investindo na transição energética que propõe a substituição de sistemas de geração de energia convencionais, que utilizam fontes poluentes (petróleo, carvão) pelas fontes renováveis, com inteligência e eficiência operacional. O esforço das nações por uma energia mais limpa gera impacto positivo no mercado de trabalho. As profissões do futuro para quem ambiciona fazer parte da transição energética são: engenheiros (com especialização em diferentes ramos como ambiental, civil, aeroespacial, mecânica, qualidade, sistemas elétricos etc.), biólogos, geólogos, bem como tecnólogos, especialistas em meteorologia, entre outros.

Impressão 3D

O primeiro carro produzido via Impressão 3D deverá entrar nas linhas de fabricação em 2022. Dois anos depois, em 2024, a medicina será capaz de realizar o primeiro transplante de fígado com órgão artificial criado com essa tecnologia, segundo previsão do World Economic Forum. A impressão 3D está transformando os processos de fabricação permitindo desenvolvimento de protótipos de peças e uma infinidade de produtos para qualquer segmento da economia com mais rapidez e menos custos. A tecnologia abriu espaço para inovação, alterou a forma como os profissionais trabalham e colocam suas ideias em prática. Agora a prototipagem pode ser realizada em qualquer lugar, possibilitando que pequenos empreendedores fabriquem coisas que antes só as grandes empresas conseguiam. A tecnologia pode ser usada tanto por projetistas 3D, engenheiros da indústria automotiva quanto por designers de produtos para o consumidor e inúmeros profissionais para lançamento de seus inventos. O Senai destaca como profissões do futuro nessa área, os cargos de designer 3D e projetistas para tecnologia 3D.

Smart city

Previsões da Organização das Nações Unidas (ONU) estimam que a população mundial chegará a 10 bilhões em 2050 e que 2/3 ou pouco mais de 66% das pessoas estarão morando em grandes centros urbanos. Os dados sinalizam o surgimento de megacidades que vão precisar de soluções integradas para resolver os desafios diários das grandes metrópoles. A sugestão da ONU é que os governantes pensem em cidades inteligentes e sustentáveis. Esses projetos vão demandar muita mão de obra especializada em diversas tecnologias para monitoramento de serviços em tempo real como arquitetos, urbanistas, engenheiros e outros profissionais especializados em mobilidade urbana para o século XXI. Haverá espaço também para talentos com expertise nas tecnologias que conectam os meios de transportes para reduzir os gargalos de trânsito dos grandes centros, dotando as cidades de infraestrutura inteligente.


As válvulas são fundamentais no processo industrial e representam até 15% de toda a instalação. Para que tenham a devida qualidade, no entanto, é importante entender exatamente a relevância do sistema de válvula.

Esse material é tão complexo, que foi dividido em tipos e subtipos, e precisa passar por uma criteriosa escolha para saber qual válvula é ideal para cada projeto. O que se sabe, no entanto, é que elas são essenciais para os processos industriais, e devem ser especificadas para cada função.

Como as válvulas se aplicam ao processo industrial?

Muito do sucesso de seu projeto pode depender da escolha correta do tipo de válvula que será implementada. Elas são amplamente utilizadas nos processos industriais com diferentes finalidades. Conheça os principais tipos:

Válvula esfera:

Esse tipo de válvula é muito utilizado na indústria naval, pois é extremamente resistente a corrosões, além de lidar bem com temperaturas muito elevadas e pressão.

Válvula borboleta:

Esse modelo lida bem com fluidos gasosos de baixa pressão, sua principal característica é a baixa queda de pressão o custo bastante acessível.

Válvula gaveta:

É usada não para regular, mas para abrir ou fechar completamente um fluxo. Por isso, é muito utilizada em processos industriais, tornando-se uma das mais conhecidas. Ela consegue liberar ou vedar rapidamente os fluidos.

Válvula globo:

A válvula globo regula o fluxo até mesmo de fluidos com partículas sólidas. Ela possui um poder de vedação superior a muitos outros modelos, e o fechamento ou a liberação podem ser feitos rapidamente.

Válvula de diafragma:

A válvula de diafragma é usada para todo tipo de gases, fluidos abrasivos e corrosivos. Esse tipo é comumente utilizado em sistemas de processo de alimentos, bebidas, farmacêuticos e biotecnológicos, devido à sua alta resistência.

Além desses modelos, elas ainda podem ser encontradas em outros formatos, como a válvula de retenção, que promove a inversão do fluxo, fazendo com que ele escoe em um único sentido. Também é comum a válvula agulha, que possui altíssima precisão no controle e, por isso, é amplamente utilizada em processos industriais.

Cautela na hora da escolha

Esses dispositivos são essenciais para o controle e manutenção de fluxos e fluidos em diferentes tipos de instalações. As válvulas podem ser consideradas como os principais acessórios em um processo de condução. Por isso, a atenção na escolha do modelo deve ser redobrada.

As válvulas podem ser fabricadas em diferentes modelos, e você encontrará, no mercado, materiais à base de plástico ou metal. Elas possuem variadas funções de vedar, liberar ou regular fluidos líquidos, gasosos e com partículas solidas, de acordo com a necessidade de cada instalação.

Algumas válvulas também podem servir como acesso às tubulações, permitindo que mudanças ou alterações sejam feitas, sem danificar muito a estrutura externa.

Elas são comumente aplicadas em linhas de ar, produtos químicos, vapor etc, e são fundamentais para que o trabalho seja seguro e completado com sucesso. Além disso, elas se aplicam a outras muitas indústrias, como farmacêutica, química, alimentícia, siderúrgica, de saneamento, de biocombustíveis, de mineração, entre outras.

Embora algumas delas apresentam funções parecidas, cada uma será aplicada de uma maneira, com uma finalidade. Conhecer o tipo de componente que passará pela válvula é fundamental para definir o modelo e saber se o material é adequado para tal trabalho.

As indústrias, de modo geral, utilizam válvulas que podem ser acionadas de maneira manual, como é o caso dos modelos gaveta, globo e retenção.

A válvula instalada em um processo garante não somente o bom funcionamento, como também a segurança das pessoas ao redor, sejam transeuntes ou trabalhadores do determinado setor.

Esse é mais um motivo para que todo cuidado e atenção sejam destinados à escolha correta da válvula a ser instalada no processo em que você está atuando. Esse erro pode representar a falha total do seu projeto.

Com isso, escolha bem a válvula que será utilizada, lendo e relendo sobre as peculiaridades e aplicações adequadas de cada uma delas.

Fonte: Wikiartigos